• Sem categoria
  • 8

Up the Irons!

Print Friendly, PDF & Email

A vida pode ser contada através dos grandes shows que temos o privilégio de participar. Esta é a história de como eu, aos 37 anos, consegui realizar um sonho de décadas.

Quando me converti, precisei negociar muitas coisas para que a Igreja da época me aceitasse. Mas o gosto pelo Heavy Metal permaneceu intacto dentro de mim, o que rapidamente se transformou em uma missão. Voltamos para os lugares de onde viemos e garimpávamos virtudes nas subculturas de nossa geração, tentando associar qualquer ideia possível ao ensino do Cristo ressurreto.

IMG_20160323_074313715Neste mês de março de 2016 completei 37 anos. De repente recebi uma ligação de um irmão lá de Brasília, pra me dar os parabéns e blábláblá. Existem aniversários e aniversários. Este definitivamente tornou-se marcante graças a esta ligação. Era meu amigo Mayron, pastor do mesmo ministério do qual faço parte (Sal da Terra) me desejando felicidades e dizendo que tinha dois ingressos para eu ir ver o Iron Maiden em Brasília dali duas semanas.

Desde que me entendo por gente desejo ir a um show do Iron Maiden. Eu e meu amigo e pastor Gustavão há anos dizemos “ei, se não formos ver o Iron este ano, pode ser que não tenhamos mais chance! eles estão velhos!”. E assim, ano após ano, chances foram perdidas. É a vida.

IMG_20160322_225442030Ontem (22/03/2016), eu e minha esposa saímos rumo a Brasília. Dinheiro? Pouco. O suficiente pra comermos algo. Brasília é bem perto de Uberlândia, o que facilitou MUITO o processo. Algumas horas de carro e pronto. Chegamos à casa do nosso amigo para pegar os ingressos. Nem acreditávamos naquilo tudo. Ingressos na mão, prontos para irmos ao show. Eu e minha esposa (dona Marina), que aliás ainda me surpreende pela disposição de mergulhar nos meus sonhos. Eu não sei se faria o mesmo por ela pra ir num show dos Back Street Boys! hahaha

Chegamos poucos minutos antes do Iron entrar no palco. Malandragem de gente velha: entrar já na hora de pegar o show principal. Entrada fluída, rápida… sem surpresas. Mas quando pisamos no último degrau das escadas, antes de pisarmos na pista, alguém diz “ARIOVALDO!”. Eu sorri. Disse olá. É engraçado isso ainda na minha vida.

IMG_20160322_212336116Curtimos o show e confesso que muitas lembranças de outros vieram à minha mente.

Na saída, quando já íamos para o nosso carro, algum outro alguém me chama: “ARIOVALDO!”. E completa “Você não sabe quem eu sou, mas eu sei quem você é”. Sorrisos, abraços. Mais um destes queridos que demonstram afetos pelo que tenho dedicado minha vida. Tiramos uma foto juntos. Ainda quero essa foto, caso você esteja lendo este texto!

Eu: – Então cara, eu estou aqui porque um casal de pastores ofertou estes ingressos pra mim. Senão seria impossível.
Ele: – Cara, eu cresci em Igreja, mas confesso que ainda me surpreendo com as coisas que você diz.

Mais abraços. Despedidas. E aí a ficha caiu. Respiro fundo para conter as lágrimas. Minha esposa comenta: “Foi num show que você conheceu o Gustavão né?”. Peguei o telefone ali, naquela hora mesmo. Liguei lá pra Campo Mourão-PR, para contar ao meu amigo onde eu estava.

Há uns 20 anos eu estava em outro show em São Paulo. Alí um amigo disse “ei, encontrei um cara que também é lá de Uberlândia… você tem que ouvir o vocal dele!”. Assim conheci o Gustavão, meu amigo, pastor e companheiro de ministério pelas últimas duas décadas. Por causa desta amizade fui ao show do Mortification em São Paulo. E também em incontáveis outros shows menores, em quase todos os estados brasileiros. Por causa de ter conhecido o Gustavão, tornou-se viável o que hoje chamo de Ministério. A Igreja Sal da Terra Manifesto, nossas outras Igrejas filhas espalhadas pelo Brasil e também no Peru e Paraguai.

IMG_20160322_210356997Do que se trata toda esta história? É bem simples o que quero dizer. Enquanto as pessoas dedicam suas vidas a resolverem seus problemas e satisfazerem seus desejos, nós gastamos a nossa para pregar o Evangelho e repartir o que temos com cada pequenino que Deus coloca em nosso caminho. Ninguém é ruim o suficiente para, que o amor que nos alcançou, não possa alcançá-lo também.

“Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou.” (João 6:27)

Este é o nosso trabalho. Cuidar do que é eterno. E de vez em quando experimentamos deste cuidado tão especial de Deus com nossa vida, que nos proporciona momentos inesquecíveis. Como esta noite. Enquanto alguns vivem para ter dinheiro, nós vivemos intensamente cada experiência, sem sabermos como nossas contas serão pagas no mês seguinte.

Não importa. Sabemos quem somos e para onde estamos indo.
Por hoje, só tenho isso a dizer: UP THE IRONS! OBRIGADO AMIGOS! OBRIGADO DEUS!

 

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Helizane disse:

    você é fera.

  2. kelvin disse:

    Você é uma bênção cara!

  3. Washington disse:

    Próximo evento de alguma banda clássica, espero poder te presentear com o ingresso…abração varão!

  4. João Paulo Carlos disse:

    quando eu digo aquela velha frase que eu e meu pai formamos as pessoas ficam assustadas…fiquei feliz com o que você escreveu…você sabe da admiração que tenho por você e por todos os que o rodeiam…gostei de saber um pouco sa sua igreja e dos seus grandes amigos…a frase lhe direi e guarde-a no cofre do seu coração ok HOJE EU NÃO TENHO MAIS PARA ONDE LEVAR OS MEUS SONHOS ENTÃO EU OS LEVAREI COMIGO…..POIS SÓ LEVAREI DÉSTA VIDA A SAUDADE SE É QUE A LEVAREI —até um super beijo JP

  5. Leonardo disse:

    Comecei a escutar teus ensinos a umas semanas Ari se é assim que posso chamá lo, e sinceramente é nítido a presença de Deus na tua vida meu irmão o verdadeiro chamado de Deus para as nossas vidas. Top essa sua ida ao show do iron fui criado em um lar evangélico e cheio regras e que se eu dissesse que iria no show do iron ou do racionais mcs eu seria crucificado por eles tenho certeza, mas Deus é fiel em cumprir a obra dele em nossas vidas!!!Parabéns por se permitir ser usado pelo Espírito Santo para que vidas sejam alcançadas e transformadas pela graça Deus. Abraço

  6. Fernando Bueno disse:

    Pro show da Damares ninguém quer ir né? Vá ti convertê rapais.

  7. Mateus disse:

    “Pelos frutos se conhece a árvore”, já dizia Jesus. Os frutos do teu ministério, Ariovaldo, têm sido pessoas amarguradas pela religião e que, muitas vezes, se prendem a ela ao tentarem se opor a ela constantemente. E por mais que você ache que estou criticando o fato de você ter ido ao show do Iron (provavelmente a primeira coisa que você pensou), não estou. Estou apenas alertando-o do perigo de usar o nome de Cristo para alimentar a amargura aos que te ofenderam. Jesus mesmo afirmou que, se você não perdoa seu irmão (e creio que muitas dessas pessoas são irmãs, apesar de ter algumas convicções errôneas; se assim não o fosse, eu não te consideraria irmão na fé, pelo menos por enquanto), você não será perdoado. Jesus te perdoou por coisas muito piores que o legalismo e o religiosismo, e continua te perdoando. E ao te combater, ele começa na brandura. Se sua resposta sempre for a de um coração amargurado com aqueles que te ofenderam ou te ofendem, então creio que você não quer, de forma alguma, seguir a Cristo.

  8. Putz! Agradecer a Deus porque ganhou ingressos para o IRON MAIDEN! Quando ouço que algum DJ faz oração antes do início de bailes FUNK aqui nas comunidades do Rio, ou que algum político “ganha” na Mega-Sena e diz “graças a Deus”, pensava que já tinha visto de tudo o que se refere a usar a liberdade de Cristo para dar ocasião à carne (Gl 3.15 – e não venha me falar que é contexto apenas referente à Lei de Moisés). Já fui metaleiro em minha adolescência. Iron Maiden, Slave, Kreator, Sepultura, Sarcófago, Megadeath, Metállica, Ozzy Orborn, Nirvana, Titãs, Legião… faziam parte do pacote de lixo cultural (não questiono gênero ou qualidade musical) mundano, diabólico e carnal em que eu estava preso. Mas, Cristo me libertou. Há um novo cântico em meus lábios (e ouvidos). Pode-se até argumentar a utilidade das letras de reflexão políticas presentes no IRON (muito comum no U2, etc), porém, na hora do êxtase, o que esses shows estimulam mesmo é “sexo, drogas e rock in roll” na grande massa de seguidores enfeitiçados pelo som pauleira.
    Irmão, não questiono (nem posso) sua integridade e relacionamento com Cristo. Minha mente simplesmente não se conforma com essa ideologia transigente com um ambiente musical descomprometido com a adoração a Deus. Poderíamos incluir também muitos shows gospel? Certamente. Mas, não vou beber cachaça só porque guaraná também faz mal. rsrsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *