Sobre ser um pregador itinerante

Print Friendly, PDF & Email

Nunca em minha vida planejei ser um pregador itinerante. Aliás, isto foi uma das coisas que minha esposa deixou muito claro que não gostaria que eu fosse desde que nos casamos. Mas a vida é assim mesmo. Vamos aceitando algumas vocações que nem sempre são fruto de escolhas.

A cada ano tenho recebido mais convites para ministrar em Igrejas e Congressos. Só que minha saúde e disposição tem sido sacrificadas muitas vezes em vão. Me convidam para eventos esquizofrênicos, onde não há coerência alguma entre a palavra que ensino e o restante da programação. Já cheguei a participar de um “congresso” onde havia gente da Lagoinha destilando um chorume que me fez pensar: o que diabos estou fazendo aqui?

Sem contar as infinitas vezes em que fui levado a lugares em que, depois de 8 horas de viagem + espera em aeroportos, me deram 15 minutos para pregar. Ou pior: quando me colocaram para dividir púlpito com gente que exigiu “ofertas” na casa dos milhares de reais enquanto o otário aqui continua acreditando que trabalha pra Deus e que não pode impedir o pobre de ouvir sua mensagem. Muitas vezes os que pagaram para outros e me mandaram pra casa sem nem um abraço de agradecimento, bilhetaram seus eventos. Assim é a vida. Pelo menos a minha vida.

Bom, não estou chorando minhas dores ou exigindo que algo mude. Quero pedir apenas uma coisa: não me tire de casa para desonrar a mim e a minha família. Eu não trabalho para vagabundos, para mercenários, para pastores tiranos que querem fazer seu ministério crescer e usar da minha fama (ainda que eu tenha má fama) para promoverem seus eventos.

Quando saio de casa, duas coisas acontecem. Primeiro, eu estou deixando de fazer outras atividades que poderiam remunerar um pouco melhor minha família. Não, eu não recebo nenhum centavo da Igreja que pastoreio. Dependo de dar meus pulos e “fazer tendas”. Segundo, eu estou gastando com quem me convida, tempo que pertence por direito a meu filho e minha esposa. Você não está ferrando comigo somente quando me faz perder tempo. Você está desonrando a minha casa, o que me faz odiar você mais cedo ou mais tarde.

Eu vivo de ofertas. Menos da metade do que preciso para manter minha casa e os projetos que faço na Internet vem do meu trabalho meio-período como analista de sistemas em uma empresa familiar. O resto vem da generosidade de quem sente as dores da minha casa. Por favor, não roube minha família.

A única exigência que faço para sair de casa é que me honrem como eu tenho tentado honrar a tantos que nestes últimos anos usufruíram de meu esforço e das palavras que reparti. Se você acha justo pagar fortunas para pastores “da moda” que cobram e me desonra ao me hospedar num colchão no chão de sua casa, me fazendo passar fome e voltando pra casa sem nem um real no bolso, então não me convide mais.

Se você verdadeiramente não tem o que ofertar, conte comigo sempre. Quantas vezes dei meus pulos, ou emendei uma viagem na outra pra poder atender aqueles que realmente não tem condições. Mas se você quer se aproveitar do otário aqui para promover seu ministério sem gastar absolutamente nada, não conte comigo.

Eu sou pastor de uma Igreja local. E se for pra gastar meu tempo 100% às minhas custas, prefiro gastar com estes que Deus me deu por obrigação ser família.

Já não tenho dúvida de que quando Jesus falou que não deveríamos jogar pérolas aos porcos, Ele se referia aos crentes e não aos perdidos deste mundo.

Em Cristo…

Ariovaldo Jr

 

 

 

Você pode gostar...

16 Resultados

  1. WARLEY disse:

    Compartilho da mesma opinião.

  2. Paulo Freitas disse:

    Me sinto edificado com sua postura, e ao mesmo tempo entristecido por saber que os evangélicos desonram tanto os que não mercadejam o evangelho, preferem os lobos aos irmãos sinceros e dispostos. O Senhor continue lhe fortalecendo. Abraço!

  3. MARCÍLIO disse:

    Show amigo! Está mais que correto…. tem muito crente abestado mesmo que só quer modinha.
    *Estive na sua palestra em Manaus (Como lidar com as críticas), conversamos um pouco nas primeiras cadeiras. Estava eu e minha esposa.
    Um grande abraço.

  4. Jurandir de Oliveira Lima disse:

    Somos controversos em algumas coisas, mas somos idênticos no amor de Deus e aceitamos igualmente o sacrifício de Jesus por este povo ingrato, que sempre preferirá um bezerro de ouro à salvação. Vai na fé Irmão, e que a Graça de Deus esteja contigo sempre e mais e mais.

  5. Jesse Martins disse:

    Pois é….é tipo Tropa de Elite, querem te derrubar pra cima, onde podem te usar de acordo com a conveniência da sua popularidade…é o sistema se readaptando….triste isso!!!!
    e mais uma vez, os interesses sempre vêm antes da Palavra….

    Que o Senhor te fortaleça e que mais como vc se levante!!!
    Abraço!!!

  6. Weuler disse:

    É… Meu brother!
    Bem vindo ao serviço do reino de Deus.
    Onde os cegos pela ganância que se auto-entitulam embaixadores de Cristo, não fazem questão de parecer o mínimo com Ele.
    Que Deus continue te honrando e abençoando sua família.

    Deus é contigo!

  7. Icaro disse:

    O trabalhador é digno do seu salario?!

  8. luiz disse:

    pastor na boa, agora fiquei envergonhado pelo senhor. eu não acredito que existam pessoas que fazem uma coisa dessa. achava que todas as vezes que vcs pregadores fossem convidados para pregar, fossem muito bem tratados e no mínimo recebessem para arcar com todas as despesas. voces deixam mulher e filhos, ficam cansados, passam por todo tipo de prova carnal( pois sabe que viver fora de casa sem sexo de uma certa forma nos deixa vulneráveis) e recebem esse tipo de tratamento? Eu peço desculpas de coração em nome de muitos desonestos sacerdotes que o desonraram e digo que tudo o que o senhor passou ou tem passado em relação a isso com certeza serviu de bagagem para que muitos que querem viver uma vida itinerante saibam que nem tudo que reluz é ouro. um grande abraço.

  9. Hamilton Pereira disse:

    Só não concordei quando falou em odiar. Quem odeia, não conhece o amor de Deus. No mais, sou contra quem cobra cachê pra fazer a obra de Deus, seja para cantar ou pregar, mas sou totalmente favorável que aquele que se dispõe a levar o evangelho por amor, é digno de ser abençoado com ofertas, na proporção da capacidade da igreja que convidou.

  10. Alex claro disse:

    Ooooooglóriaaaaa…. Continue assim …. Deus tem o melhor para vc e sua família…. Um grande abraço…..

  11. Rogério disse:

    Em outras palavras, me pague para pregar … O discurso é até bonitinho e tal, mas o proposito é ser remunerado pela pregação da palavra !!!!

  12. Lazaro disse:

    Não se iguale aos demais pastor.
    Não olhe para os outros nem para o bem que o evangelho pode te proporciona, pregue por amor sempre, pois a recompensa dos fiéis não e nessa vida.
    Que Jesus te abençoe e te guarde.
    Cuidado com as palavras contra os que fazem a obra.

  13. João Roberto Costa disse:

    Cara! É uma merda!

  14. Will Meira disse:

    Desculpem o textão, mas:
    Penso nisso a algum tempo, e concordo… É exatamente assim, e gostaria, muito de com amor falar sobre algo com o Rogério, que comentou dia 25/11. Cara, estive pensando sobre isso por um tempo, lendo sobre isso e tal. Observando o livro de Atos, vi que os apóstolos, que instruiam a igreja nos primeiros anos, precisavam se separar para o estudo da palavra, para oração e tal, e por isso foram escolhidos diáconos para o serviço aos necessitados e outros afazeres, para que os apóstolos se focassem a Palavra e a oração. Lembremos que o povo vendia suas coisas e levava a grana aos pés do apóstolos( que hj eu discordo dessa atitude, porque depois Paulo tinha que ficar juntando dinheiro nas igrejas e levar para Jerusalém), que repartiam, mas viviam daquilo. E o que falar sobre 1 Cor 9, onde Paulo reivindica o direito de viver mantido pela igreja (assim como os demais apóstolos). Acho justo que o pastor se separe para o estudo da palavra, à oração, e que seja mantido pela igreja local. Porque se o cara é assalariado, como vai levantar as 3h da manha e ir orar por um enfermo, consolar a familia que perdeu um membro no acidente as 5h, fazer culto fúnebre as 16h numa quarta feira. Pregar na sexta feira no culto da 19:30h. “1 Tim 6: 10 Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” 2016 abençaodo à todos.

  15. Edson disse:

    Não concordo com a questão de odiar. Mas creio que foi por impulso. Mas concordo com o resto. É triste.
    Só uma observação ao comentário do Rogério:
    Não é nem questão de ser remunerado, e sim a questão do bom senso ebda ética que vários crentes não possuem. Coisa que gostam de pregar em seus púlpitos, mas viver que é bom ninguém quer.

  16. Fabiana Sá disse:

    Queria te dar um abraço fraterno e dizer meu irmão em Cristo, tamojunto. Deus abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *