Ateus, a dúvida e a fé

Print Friendly, PDF & Email

Quanto mais ateus passam a fazer parte de meu círculo de amizades, mais feliz me torno. Concluo nas infinitas conversas aleatórias sobre a vida o universo e tudo mais, o quanto tenho prazer em ser questionado. No meu entendimento, a dúvida deveria sempre colaborar com a fé.

Eu creio porque confio em Deus. Se eu tivesse provas visíveis, não precisaria crer. Crer na prática é dar crédito a alguém. O que questiona as coisas explicitamente percebidas, não é necessariamente um gênio. Qualquer animal é capaz de perceber o óbvio. Quando falamos sobre o que é a verdade, deveríamos aprender que a dúvida é absolutamente indispensável na busca pela iluminação do entendimento. Só quem duvida, busca. E quem busca, encontra. Obter a iluminação sobre determinado ponto não se trata então da questão debatida em si mesma, mas em quem faz a proposição sobre o assunto.

Um cheque assinado por mim tem valor relativo. Se eu te der um cheque de 100 reais, você provavelmente confiará no valor que ele tem. Mas se eu te der um cheque agora no valor de 10 milhões de reais, então você questionará o valor daquilo que ele representa. Minha assinatura não é forte o suficiente para sustentar a verdade proposta.

Com relação às questões da vida, acontece o mesmo. Não importa o quanto absurda seja uma proposição. O que pesa mesmo é qual o proprietário da assinatura no final do documento. Um homem pode divagar sobre o assunto que quiser, mas tudo isso só tem valor se tiver a Escritura como fiadora de suas proposições. Até fatos, que são tidos como provas materiais, são apenas um ponto de vista. E assim a ciência caminha, tateando na escuridão. Mas quando Deus divaga a respeito de qualquer assunto, ainda que não seja algo compreensível para nossa ainda tão infantil racionalidade, então suas proposições são absolutamente verdadeiras. A assinatura no cheque dado por Deus é o que confirma o valor que ele tem.

Da mesma maneira não importa muito ouvir verdades jogadas ao vento. Porque a verdade pode ser percebida até por aquele que não conheça a Deus. Mas o que realmente importa é saber QUEM É VOCÊ que maneja a verdade como uma espada. Uma arma em si mesmo não possui poder letal algum. Tudo depende de quem a empunha. A dúvida é uma arma poderosa. E exatamente por isto é necessário desconfiar do poder de fogo de quem tem certezas demais.

Creio porque duvido. Se eu não duvidasse, não percorreria a jornada em busca da assinatura que justifica minha fé.

Você pode gostar...

16 Resultados

  1. Jesiel Franz disse:

    Gosto muito de suas postagens, sou muito edificado por elas.

    Deus abençoe

  2. Gerson Ferreira disse:

    Comecei a seguir há pouco tempo, mas deu para perceber que aqui se busca tratar do Cristo e de Palavra, de forma bem contextual e atual… Show!

  3. Mateus disse:

    Valeu//

    Este texto me fez entender o porquê de se validar ou não um dogma.

    A conclusão que eu cheguei é de que a própria fé em Deus acaba sendo lastreada pela credibilidade da pessoa que “assinou o cheque” que me fez querer (ou não) comprar a ideia de acreditar..
    É lógico que temos o Espírito Santo que faz o trabalho do convencimento.. mas se quem O prega não leva uma vida minimamente digna de credibilidade, não tem teologia que o ajude a me convencer do que este pregador fala..

    E isto me leva a pensar:
    ~ Reverendíssimo Ariovaldo Jr, porque raios você as vezes parece querer tocar o foda-se pra todos que questionam as suas teorias, por vezes, tão contraditórias? Não seria mais lúcido aproveitar-se da dúvida (tão elogiada neste post) para chegar a uma conclusão mais ponderada?


    Enfim, sou muito fã do seu trabalho. Parabéns por este texto.
    Valorizo opiniões fortes, mas desprezo a cabeça-dura.
    E… você as vezes é um cabeça-dura do caralho. ~*no pun intended*~
    Não seja a versão gospel da Rachel Sheherazade.

    E, por favor não me veja como inimigo.
    Tamo junto nessa caminhada.
    Afinal, antes de apontar este cisco no teu olho, eu tive que tirar a trave que estava no meu..
    Acredite.. dos pecadores, eu sou o pior.

  4. Maria Fernanda disse:

    Cara muito inteligente a sua perspectiva, apesar de não concordar com algumas opiniões suas que posta no face ( e acho bom nao concordar com tudo), devo admitir que esse pequeno texto esta bem esclarecedor ! Parabéns, que o Pai continue contigo :)

  5. Samuel Mohallem disse:

    Mano, posta por aqui com mais frequencia! Muito bom e reflexivo.

  6. Robson disse:

    Gostei do texto e da enfase que realmente é creditada a quem assina o cheque, a obra , a palavra tamos juntos servo de Deus , e aos questionadores da fé , ateus , (a)Deus!

  7. michel moura disse:

    Sensacional …Pr Ariovaldo sempre somando para o crescimento do reino de uma forma esclarecedora e difereciada do evangelho desde tempo…..Parabéns e Deus continue abençoando. ?.

  8. bruno disse:

    Se você tem uma dúvida, portanto, não tem certeza de algo, porém, se você fala que crê porque duvida, você está necessariamente invalidando a premissa de que duvida.

    Ter fé é acreditar em algo sem ter provas concretas daquilo, ou seja, ter fé não envolve duvidas, não tem como ter fé duvidando.

    Fale então que você está buscando validar o que você acha que é o correto, faz isso pq existe algo de dúvida em você, pois, se essa não existisse, fé você teria.

    Texto fofinho para alieandos de sempre…falou em religião, falou em alienação…na maioria das vezes alienação própria como forma de conseguir viver melhor no mundo com seus problemas e sua insignificância.

  9. Ariovaldo Jr disse:

    Alienação é a literalidade como regra. Não conseguir imaginar que o mundo foi criado pelo filosófico, e não pela percepção de premissas que qualquer bovino perceberia.

    O religioso enxerga o invisível e é chamado de cego por quem só enxerga o óbvio. Vai entender…

  10. Anny disse:

    E para o Rapaz chamado Bruno eu deixo a seguinte frase, porque pra mim é mais um religioso que vive debaixo de leis criadas pelos homens que Paulo fala na Bíblia em uma de suas tantas escritas.

    “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam ouvir a música” Friedrich Nietzches

  11. Ricardo Pacheco disse:

    Belas palavras Ari. Acho que tu deveria postar mais textos por aqui cara.

  12. Ricardo Pacheco disse:

    Ser mais frequente em postar seus textos por aqui*

  13. Marcelo disse:

    Hey man… Me vi neste texto… Dúvidas eu tive aos montes e ainda tenho. Por varias vezes me peguei duvidando se existia msm Deus, principalmente pelo fato de que nosso egocentrismo faz com que não aceitemos a desgraça na nossa vida! Porém, quando vc percebe q não passa de um merda de um pecador e q as “cagadas” são as coisas mais normais desse mundo e q tem td p dar errado msm é q vc vê q não é porcaria alguma e q depende de uma força maior. Aí no aperto vc descobre q Deus sempre teve lá e q vc tava morto td esse tempo!
    Que venham as cagadas hahahahha pois acredito q muitos encontrarão Deus pela dor e não pelo amor…. To viajando??
    Abrassssss

  14. Giselle disse:

    Bom Dia!!!Sou cristã,católica livre de preconceitos e estou muito feliz com suas palavras pastor,admirada com tanta sabedoria.Obrigada por suas palavras.

  15. washington disse:

    ola ariovaldo,sou de maceio e muito fan de suas frases e palavras bilbicas ,ore por mim pra eu sair do deserto e arrumar um emprego to no sofrimento horrivel paz dosenhor irmao ariovaldo!!!

  16. Fabiana Sá disse:

    Pastor, eu tenho pelo menos dois amigos ateus, eles são muito gente boa e nunca conseguiram abalar minha fé por conversar comigo, fazer perguntas, questionar. Pelo contrário, fui instigada a ler mais, pesquisar, estudar as escrituras até para poder responder algumas questões. Por outro lado, quem quase abalou minhas estruturas foram pastores desonestos, dentre eles um grande amigo que eu tinha. Felizmente a Graça de Deus me abraçou tão forte que não me deixou cair na incredulidade, são coisas de homens e minha fé é em Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *