Pelo direito a uma vida desprovida de sentido

Print Friendly, PDF & Email

Parece inconcebível que alguém viva sem ter um plano. Quando as crianças aprendem a falar, já as perturbamos com perguntas do tipo “o que você vai ser quando crescer?”. Como se não desejar nada, ou viver um dia de cada vez esperando pra ver o que acontece fosse loucura demais. Você precisa ter um plano. Foi doutrinado a isto.

Então começo a reler o Novo Testamento e me deparo com algo que estava na minha cara o tempo todo mas eu nunca havia percebido. Deus tem um prazer quase mórbido de frustrar os planos dos homens. E exatamente quando tudo deu errado na História da Igreja, então deu certo.

Pra começar, a gloriosa História da Igreja começa com um fiasco engraçado. Os discípulos resolveram dar uma ajudinha pra Deus, elegendo quem seria o décimo segundo discípulo a ocupar o lugar de Judas Iscariotes. No sorteio direcionado (igual da Copa do Mundo), venceu um tal de Matias. Homem considerado íntegro em sua época, mas que nunca mais foi sequer citado nas Escrituras. Enquanto homens escolheram Matias, Deus preparava para si a Paulo.

Após a ressurreição de Cristo, os discípulos receberam instruções explícitas sobre como deveriam aguardar em Jerusalém até que o Espírito Santo os revestissem de poder. Pois os tais “ousadamente” se trancaram em um galpão, mortos de medo dos judeus. Por que então aquele local e momento específicos da história se tornaram marcantes? Por que o Espírito Santo veio e bagunçou tudo. Fez com que aqueles homens não resistissem às coisas que Deus queria falar através deles. De modo que outros viram e ouviram tais coisas e logo de cara indagaram se eles estavam loucos ou bêbados. Ainda bem que Cristo não explicou o que haveria de acontecer, senão os discípulos teriam se escondido mais longe.

Então o Ministério apostólico começa com todo o vigor o processo de evangelização. Enquanto os cristãos oravam para que Deus os livrasse das mãos de seus perseguidores, Deus tinha outros planos. Fez do maior deles o seu décimo segundo apóstolo. Saulo, agora Paulo.

O tal Paulo era um cara extraordinário. Conseguiu com maestria iluminar o entendimento dos cristãos a respeito de como o plano de Deus SEMPRE FOI a redenção através de seu Filho Jesus. Obviamente isto também gerou problemas gravíssimos para a época, fazendo com que momentaneamente houvesse um rompimento entre Pedro e Paulo. Um preferiu concentrar-se nos habitantes de Jerusalém e redondezas, enquanto o outro saiu para repartir o conhecimento de Deus com ímpios. Exatamente esta contenda entre os discípulos é que proporciona a evangelização dos gentios (nós).

Aí vem Paulo, homem letrado e hábil em planejar. Mas frustrado diversas vezes em seus intentos. No capítulo 16 de Atos dos Apóstolos pode-se observar claramente que o Espírito os impediram de ir a lugares que desejavam. E exatamente assim, acabaram terminando nos lugares certos. Parece que os planos dos homens já tem tradição em se distanciar da vontade do Criador.

Quando Paulo vai preso, julgando ser conveniente evitar uma morte precoce nas mãos dos judeus, apela a sua cidadania romana. Será que ele tinha consciência que seria levado a um tribunal em Roma por causa disso? Duvido. Haviam tribunais romanos ali mesmo.

Na viagem a Roma, um naufrágio e uma picada mortífera de cobra. Tudo continua terrivelmente longe dos propósitos humanos de comodidade e “resultados”. Deus continua no controle.

Meu questionamento é por que temos tanta dificuldade em compreender que o IDE de Cristo é em todas as direções. Ou seja, quando nos organizamos e institucionalizamos que fazer a obra de Deus é se engajar com determinada coisa, estamos mutilando o agir de Deus através de nós. Não pode haver separação entre a Missão e a sua Vida. Não podemos viver debaixo de metas a cumprir, de planejamentos realizados em gabinetes, de cobranças por parte de uma suposta liderança que tem se levantado na Igreja de Cristo, mas que raramente tem a ver com a perfeita vontade de Deus pra nós.

Precisamos mais do que nunca daquele velho Evangelho que continha Boas Novas de verdade. O que libertava. Fazia com que homens pudessem viver suas próprias vidas com a plena consciência de que não pertencem mais a si mesmos.

Homens e mulheres que não saem mais pra evangelizar, mas encarnam o evangelho de maneira tão intensa, que tudo que fazem glorifica a Deus e leva outros a glorificarem o autor e consumador da vida.

Quero uma vida desprovida de sentido. Por que agora sou livre pra servir a Cristo em qualquer circunstância, direção e tempo. E o sentido que me ensinaram a seguir desde que me converti, parece raso demais perto de tudo que Deus quer pra minha vida.

 

Você pode gostar...

16 Resultados

  1. Amanda disse:

    Excelente, Ari!

  2. Freire Moreno disse:

    Tenho refletido sobre tal sentido de vida e é encantador perceber como muitos na história pensaram isso também. Umas das coisas que mais me impactaram foi o que Ernest Becker falou sobre a negação da morte, olha só um pedaço do resumo do livro dele:
    “De todas as inquietações que movem o ser humano, a mais forte e determinante é o medo da morte. O temor, que o acompanha desde que assomam em sua mente as primeiras noções de mundo, é a mola mestra de quase todas suas atividades, assim como a principal fonte de angústia.”

    O que Ernest Becker chama de negação da morte o livro Eclesiastes chama de vaidade. O mundo tenta achar sentido em tudo para “esquecer que faz parte de uma cadeia alimentar” e não percebe que na cruz, e somente nela, é que Jesus Cristo, o único eficaz, nega a morte de maneira definitiva.

  3. Renata disse:

    tenho pensado ha um tempo sobre a minha liberdade de servir a Cristo e até ler este texto não tinha encontrado niguem que concordasse com que penso a respeito. Não entendo esse lance de só servir a Deus se estiver ligada a uma instituição religiosa. Se de fato o meu viver é Cristo TUDO o que eu faço será por e para Ele.
    “Homens e mulheres que não saem mais pra evangelizar, mas encarnam o evangelho de maneira tão intensa, que tudo que fazem glorifica a Deus e leva outros a glorificarem o autor e consumador da vida” Espero que os Cristãos não levem mtu tempo p/ entender isso.

  4. Rebeca Zirpoli disse:

    Concordo com o que a Renata disse acima: espero que os Cristãos não levem muito tempo para entender isso :|

  5. Ronei disse:

    Deus que nos mostrar um evangelho mais vislumbrante, mas nós temos um coração tendencioso, corrupto e ativista, precisamos desprender de muita coisa e encarar a fé Cristo sem algumas pretenções, mostrando o amor de Deus em Cristo (e como o mundo está carecendo disso).

  6. Bruna disse:

    Paulo nunca conheceu Jesus de fato. O que ele teve foi uma visão. Até quando vocês vão acreditar nesse mito que é a história de Jesus?

    Tudo que ele (Jesus) disse foi chupado dos essênios.

  7. Carol Costa disse:

    Inspiradas e relevantes palavras!

  8. Freire Moreno disse:

    Jesus, O Mito que nem cientistas ateus conseguem dizer que não existiu, até mesmo pq não crer que ele existiu é um ato de fideísmo.

  9. Suzete Evangelista disse:

    É iisso.. é disso que falo. Morrer em mim e viver pra Cristo, em todos os aspéctos da vida aqui na face da terra.

  10. Kamelando disse:

    Paulo realmente viveu uma vida desprovida de sentido, em Gl 2:16-20. Quando fala que ESTOU CRUCIFICADO EM CRISTO, o tempo perfeito enfatiza ambos, o acontecimento passado e seus efeitos contínuos. A morte de Cristo produz vida, o próprio Cristo vivo passando a habitar em nós. A nova vida é vivida sobre o príncipio da fé em Cristo (Gal 2:16), em lugar da obediência legal.

  11. PHILL FÉLIX disse:

    Esse texto reflete o meu momento.
    “Meu questionamento é por que temos tanta dificuldade em compreender que o IDE de Cristo é em todas as direções. Ou seja, quando nos organizamos e institucionalizamos que fazer a obra de Deus é se engajar com determinada coisa, estamos mutilando o agir de Deus através de nós. Não pode haver separação entre a Missão e a sua Vida. Não podemos viver debaixo de metas a cumprir, de planejamentos realizados em gabinetes, de cobranças por parte de uma suposta liderança que tem se levantado na Igreja de Cristo, mas que raramente tem a ver com a perfeita vontade de Deus pra nós.”

  12. Madelene disse:

    Parece que ngm aceita o fato de eu não fazer planos para o futuro, de viver um dia de cada vez, literalmente. Fazer planejamentos é uma grande brecha para a decepçao. Se daqui a 5 anos as coisas não estiverem como eu planejei, a chance de eu ficar frustrada é mto grande. E eu não falo isso por egoísmo (ah, não quero me magoar), mas eu sei que sou falha, e não qro correr o risco de botar tudo a perder só pq as coisas não aconteceram do meu jeito. É mto bom encontrar alguém que tem o pensamento parecido, me sinto menos sozinha :) que Deus continue te dando sabedoria, e espero que vc não se torne mais uma vítima do sistema, que quer calar as vozes da verdade.

  13. Mateus Mori disse:

    Cara, fazia tempo que eu num me deparava com uma palavra vinda tão saindo do forno.
    Que desespero é ser um cristão de meio tigela. Nós, creio que todos nós não fomos salvos para essa vida que temos hoje.
    Que o Senhor tenha misericórdia de nós dessa vida sem temor, sem fé, sem esperança e sem amor. Ou Ele inclina seu rosto para nossa geração, ou vamos continuar covardes dentro de nossas casas e escritórios.
    Sola Dei Gloria, por amor de Ti mesmo, Jesus, nosso Senhor.

  14. Cristiane Saraguci disse:

    Olha, impressionante sua percepção das coisas, o que mais tem me incomodado na minha caminhada cristão é a hipocrisia que vejo todos os dias, infelizmente boa parte das pessoas parecem realmente não entender a Palavra de Deus, se não entendem quem dirá então viver pra Cristo. Glória à Deus pela sua vida! Obrigada pelas palavras.

  15. isaias de paulo da silval disse:

    muito bom

  16. Michele Macedo disse:

    Amei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *