Índios, Cultura e Masturbação

Antigamente o índio tinha vida. Agora tem um dia.

Nossa evangelização ensinou o índio a ter parábolica, calção da Adidas e chinelo Havaianas. Não ensinamos a misericórdia, o perdão, o dar de si mesmo. Em dois mil anos de cristianismo ainda não aprendemos a repartir o Evangelho sem sufocar a cultura do outro. Somos ótimos catequizadores, mas péssimos evangelistas.

Essa nossa persistência em moldar a cultura segundo nosso conforto é o que gera tantos conflitos. O mundo modifica a si mesmo em ciclos de tempo cada vez menores. A Igreja ainda idolatra a liturgia e as formas. Nossa maneira de cultuar a Deus é o ídolo que ocupa no nosso coração o lugar do próprio Deus. Apelos desesperados à importância da “tradição” não enfatizam que algumas coisas precisam ser esquecidas.

Choro pelas crianças que serão adultas num futuro próximo. O Evangelho que transforma o homem, independente de sua cultura, está cada vez mais distante. E infelizmente não há luz no fim do túnel.

Se zelamos pelo Evangelho, não fazemos mais do que nossa obrigação. Se zelamos pela tradição, somos prudentes. Se negamos a cultura, somos a manifestação visível do anticristo. Pois aquele que nega que Cristo veio em carne (isto é, viveu como homem), está negando o caminho da obra redentora de Jesus Cristo.

Falta nos dias de hoje o cristão humano. Aquele que sente a dor do outro e que se move na direção do que sofre. Porque uma espiritualidade que não transforma a realidade é apenas masturbação.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. felipe rodrigues goncalves disse:

    muito boa a colocaçao de suas palavras,ainda mas no final quando fala sobre a mudança, e que se nao a mudançao é como apenas uma masturbaçao…

  2. PHILL FÉLIX disse:

    TEXTO GENIAL. ANALOGIA PERFEITA.

  3. Dejan disse:

    Meu irmão o que você fala nesse blog é a mais pura verdade! Vamos a reforma!

  4. paulo simoes disse:

    concordo com você,essa religiosidade que há no meio”gospel”,ta osso cara,Deus te abençoe manoo.

  5. Celso Bastos disse:

    Tenho visto no meio “GOSPEL” muito dessas coisas. Um evangelho seco que não muda a vida de ninguém.
    Uma vez a igreja onde eu congregava convidou uma “CANTORA” para ir fazer a obra e ela simplesmente não foi por que a igreja não tinha condições de arcar com as despesas dela, isso porque tinha acabado de lançar um cd chamado “Profetizando as Nações”, justamente um disco que enfatiza evangelismo e cita versículos do tipo “Como ouvirão se não há quem pregue…”
    É triste pastor… Se não fosse a promessa em JO 16:33 estaria fora da igreja já!
    Abraço! Deus abençoe

  6. – Essa semana, veio ate minha casa uma irma, a fim de convidar-me para estar pregando em sua Igreja. O esposo nao veio, mas ela no final, após ter aceito convite, ela fez essa pergunta.
    – De forma “nua e crua”. Irmao quanto e que cobra…
    Por que nossa Igreja e pequena, isso já aconteceu conosco quando estavamos na Sede, um cantor foi até lá e no final,a conversa passou para o lado “Carnal” e o Pastor presidente de nossa Igreja teve que passar um Cheque, para atingir o valor que aquele irmao havia exigido que lhe fosse pago.
    – Bom para quem anda esse Brasil, pregando e algumas vezes nao receber oferta, e colocando a gasolina do meu bolso.
    Fiquei sem constrangimento em falar que ficasse tranquila, pois nem todos receberam o mesmo tipo de chamado.

  7. Ubiratan Júnior disse:

    Infelizmente, essa mania que o ser humano tem em querer moldar as coisas e as pessoas para poder se sentir mais a vontade ainda existe. É incrível como dentro das igrejas as pessoas ainda te julgam pq tu escuta um certo tipo de som, esse é apenas um exemplo de várias coisas que ainda acontece dentro dos templos, como se existisse um modelo para se adorar corretamente. Temos que começar a mostrar que o propósito nosso é servir, e isso independe da maneira. Estão querendo “criar” crentes padronizados, e deixando de ensinar o verdadeiro sentido de ser crente, servir incondicionalmente ao Deus vivo.
    .
    Parabéns pelo blog pastor. Deus te abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.