Pastores serão os últimos no Reino de Deus

Sinto sobre minha vida o peso da vocação. Sou um pregador. Vulgo pastor. E não é cumprir minha função ou a pressão para que eu o faça que coloca tal peso sobre minhas costas, mas algumas coisas que fazem parte do pacote.

Tornou-se inevitável associar popularidade e relevência. De modo que minhas pregações só serão consideradas relevantes à medida que atinjam um público expressivo; e que haja repercussão entre estes “atingidos”. O fato é que eu não sei fazer outra coisa. Talvez minha maior contribuição com o Reino, segundo o chamado e vocação da parte de Deus, seja expressar em palavras as angústias que me afligem. E, identificando-se com tais situações, pessoas sejam levadas a ouvirem a voz de Deus.

Porém a exposição gera popularidade no mau sentido da palavra, de modo que nossa função passa a ser mais valorizada do que o “serviço”. Isto é prejudicial e ao mesmo tempo uma maldição para os pregadores. Assim como aquele que jejua para parecer espiritual, o pregador recebe seu galardão à medida em que prega. E quanto mais prega, mais honra recebe por parte de homens. E quanto mais honra, menor tal homem se torna no Reino.

Isto culmina com a realidade de que nós pastores seremos os menores no Reino de Deus. Por que aqueles que fazem o Reino funcionar anonimamente são os verdadeiros heróis desta história. Todas aquelas pessoas que oraram, visitaram, choraram… e moveram os céus para que as coisas acontecessem… estes sim são os verdadeiros heróis.

Mas está tudo bem. Nada traz mais satisfação do que compreender os desígnios de Deus para sua vida.
E àqueles que desejam tornarem-se pregadores, avaliem bem suas motivações. Por que entramos nessa vida para perder… de modo que outros possam ganhar. Parecemos grandes, mas no final seremos os menores… para que os menores possam ser grandes no Reino.

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Ronei disse:

    Resumindo o pastor conhece os meandros do cristianismo e da vida, mas ora e chora pouco.

  2. Alemão disse:

    Boa reflexão , porém meio raza em alguns sentidos, pois o que dizer então dos doze apóstolos?

  3. Ariovaldo Jr disse:

    Eles morreram todos de maneira trágica. Foram espetáculo ao mundo não em honrarias e cadeiras privilegiadas, mas pelo sofrimento e exemplo. Por isso se sentarão em tronos e julgarão as 12 tribos de Israel, segundo as palavras do próprio Jesus.

  4. Alemão disse:

    Exatamente.Claro que diante do mundo eles foram escarnecidos e menosprezados, mas diante dos santos terão sua posição de honra, seu galardão! O que seria o galardão?Uma recompensa da parte de Deus segundo o que cada um fez! Que honra maravilhosa! “Quem deseja o episcopado excelente obra almeja”

    Como disse David Livinsgton no final de sua vida(acho que se escreve assim)..”Longe de mim de me gloriar de “tudo” que larguei para viver uma vida pra Deus, na verdade foi um grande privilégio”

  5. Olá Ari.
    Tomei a liberdade e postei este artigo no meu blog, CONSELHO DE PASTORES DE Sta. Rita do P. Quatro – SP.
    Beleza de artigo.
    Deus te abençoe. Abração.

  6. Czar D'alma disse:

    Olá! Paz seja com todos! Bem, o bom de tudo que, seja como for, os primeiros, como Paulo afirma, serão na medida do escárnio que, os 12 apóstolos sofreram, tendo tudo e nada possuindo… Estão estes na escolhas dos últimos lugares. Bom, bem se disse que, se escolhessem tais lugares, porém virão do oriente e ocidente e se sentarão à mesa com o Filho do Homem, etc. Ariovaldo fala existencialmente bem, espiritualmente real e psicológicamente, masgistral. Parece difícil, pra gente e a mim, muitas vezes, compreender que, oramos com a alma, no âmbito do pensar com e em Deus, isso também é oração! Por isso, orar, nunca é muito ou, pouco, orar é! Orar é um atributo e não, um obejto que, se empilha, pra se dizer que, fez-se menos ou mais! No senso comum, se usa muito disso, mas não é necessariamente verdade.
    Obrigado, Pr.Ariovaldo, servo e, queria eu, ser mano e amigo!
    Bela exposição, profunda em conotações simples.
    Uma boa coisa a pensar, pela verdade em si! Receio apenas em dizer que, não me e ou, nos cabe, saber quem senta aqui ou, acolá, no Reino de Cristo, pois Ele o fará por Graça e não, meramente, pelo serviço cognomeado, por título e ou, por ausência do mesmo!
    Se faz, não julgue o que não faz, mas se não o faz, não meçe, julgue e ou, analise quem não o faz! No mais, deixo um beijo N’alma e carpe diem! Obrigado! Shalom!
    Até mais,

    Czar D’alma.

  7. Czar D'alma disse:

    Olá! Paz seja com todos! Bem, o bom de tudo que, seja como for, os primeiros, como Paulo afirma, serão na medida do escárnio que, os 12 apóstolos sofreram, tendo tudo e nada possuindo… Estão estes na escolhas dos últimos lugares. Bom, bem se disse que, se escolhessem tais lugares, porém virão do oriente e ocidente e se sentarão à mesa com o Filho do Homem, etc. Ariovaldo fala existencialmente bem, espiritualmente real e psicologicamente, magistral. Parece difícil, pra gente e a mim, muitas vezes, compreender que, oramos com a alma, no âmbito do pensar com e em Deus, isso também é oração! Por isso, orar, nunca é muito ou, pouco, orar é! Orar é um atributo e não, um objeto que, se empilha, pra se dizer que, fez-se menos ou mais! No senso comum, se usa muito disso, mas não é necessariamente verdade.
    Obrigado, Pr. Ariovaldo, servo e, queria eu, ser mano e amigo!
    Bela exposição, profunda em conotações simples.
    Uma boa coisa a pensar, pela verdade em si! Receio apenas em dizer que, não me e ou, nos cabe, saber quem senta aqui ou, acolá, no Reino de Cristo, pois Ele o fará por Graça e não, meramente, pelo serviço cognominado, por título e ou, por ausência do mesmo!
    Se faz, não julgue o que não faz, mas se não o faz, não mede, julgue e ou, analise quem não o faz! No mais, deixo um beijo N’alma e carpe diem! Obrigado! Shalom!
    Até mais,

    Czar D’alma.

  8. Muito bom,
    tenho pensando muito sobre isso,
    mas não tinha achado um material de alguém
    com um pensamento semelhante.

    Deus nos abençoe!

  9. Descobri o Ariovaldo Jr. por um RT que o Ariovaldo Ramos deu, e logo de cara me identifiquei com estilo de linguagem e a linha de pensamento, percebi que ele é mais um subversivo (Graças à Deus), dentro do escaço grupo de remanescentes cristãos que estão sobrevivendo ao lixo gospel que esta por ae. Que bom que os anonimos estão ganhando corpo no que dizem no ambiente virtual também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.