Fundamentalismos (homofobia x heterofobia)

O preconceito do católico com relação ao evangélico é exatamente igual à homofobia. E o preconceito do evangélico com relação ao católico é idêntico à heterofobia. O problema então se mostra um pouco mais complexo do que as análises populares tem sido capazes de enfatizar pois, fundamentalismo por fundamentalismo, toda ideologia pode se tornar algo desgraçadamente insuportável.

Até mesmo o que cremos como VERDADE perde sua veracidade quando há uma tentativa de enfiar tais verdades nos outros goela abaixo. Lembrando também que toda condenação deveria ser deixada exclusivamente sob responsabilidade de Deus. O que deveríamos pregar mais é a tolerância, semelhante ao modo como o próprio Deus suporta diariamente nossos erros e insistências pelos maus caminhos. Tolerância não é concordar… é aceitar apesar das divergências de opiniões.

Precisamos ser testemunhas apenas de que existe um caminho EXCELENTE. E que não é por força e nem por violência, mas pelo Espírito de Deus, como bem enfatizou o profeta Zacarias. Não precisamos combater o erro alheio. Mas viver pelo caminho do ACERTO.

Nossos “valores” continuarão a ser flexionados e questionados.
Simplesmente por que nossa fé virou uma piada.
E a culpa é toda nossa. Apenas nossa.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Kássio Melo disse:

    Gostei, é isso mesmo…

  2. Helen Araújo disse:

    Excelente texto! Devíamos falar menos e viver mais o que pregamos…

  3. Hayra disse:

    Infelizmente julgar é algo que está muito presente nas igrejas…

  4. Ponderado disse:

    A heterofobia caracteriza-se pela aversão, intolerância e combate à opção heterossexual. Está presente quando se tenta forçar alguém a renunciar ao ponto de vista heterossexual, o qual, por si mesmo, exclui pontos de vista e condutas sexuais incompatíveis, pois não se pode ser heterossexual e bissexual ao mesmo tempo, e nem tampouco heterossexual e homossexual. Como a adoção da heterossexualidade implica, por uma questão de incompatibilidade, em rejeição às opções homossexual e bissexual, tentar forçar alguém a encarar essas últimas como normais, aceitáveis ou até desejáveis implica em heterofobia.

    A prática da heterofobia está presente nas seguintes condutas:

    1) intimidar, ameaçar, perseguir, constranger ou colocar em situação vexatória pessoas que rejeitem a homossexualidade ou externem em relação à mesma opinião contrária, crítica desfavorável, reprovação, desaprovação, descontentamento ou indignação;

    2) reprimir ou tentar impedir a livre manifestação de pensamento ou opinião contrários à homossexualidade;

    3) incitar ou facilitar a adoção de prática homossexual por crianças, bem como induzi-las a desenvolver preferência ou gosto pela conduta homossexual;

    Na qualidade de cidadão brasileiro, exijo do governo a proteção integra do meu direito a:

    1) ensinar a meus filhos que a opção heterossexual é a única adequada para eles;

    2) proteger meus filhos de quaisquer influências que afetem o desenvolvimento de sua personalidade heterossexual, na escola ou nos meios de comunicação;

    3) expor publicamente minha opinião, crítica e pensamento contrários ao homossexualismo, bem como externar descontentamento, indignação e reprovação ao mesmo;

    4) rejeitar o homossexualismo como opção para mim e para minha família;

    5) frequentar espaços privados, onde eu e minha família não sejamos obrigados a presenciar atos homossexuais;

    6) exercer minha liberdade de crença religiosa, externando meu ponto de vista de que o homossexualismo, ao lado de muitas outras condutas sexuais (masturbação, adultério, fornicação, promiscuidade, depravação etc.), tem inspirações malignas e diabólicas.

    A heterofobia se manifesta claramente na tentativa de criminalizar e punir com prisão as pessoas que rejeitam a homossexualidade.

    Apesar das chacotas (na verdade uma arma para tentar desmoralizar a luta heterossexual) que a comunidade gay vem fazendo a respeito deste tema, a verdade é que a tentativa de criminalização de opiniões contrárias se deve a um ódio aos discordantes.

    Há uma diferença radical entre defender os direitos humanos dos homossexuais e usar isso como desculpa para prender heterossexuais que rejeitam a homossexualidade. Fingindo-se de defensores dos direitos humanos, os heterofóbicos querem na verdade instalar um estado hedonista voltado completamente para o prazer homoerótico e para tanto tem que destruir a família tradicional e a resistência cultural hetero.

    A resistência contra a heterofobia é cultural e é por tal motivo que eles querem alterar completamente a cultura, invertendo os padrões de normalidade.

    Quanto aos assassinatos de homossexuais no Brasil, os heterofóbicos tentam esconder que:

    1. o número de heteros que são assassinados todos os dias é muito mais alto que o número de homossexuais;

    2. é muito mais fácil um heterossexual matar outro heterossexual (vejam os índices de crimes passionais) do que matar um homossexual;

    3. o número de homossexuais assassinados no Brasil é alto somente porque este é o país com maior população gay do mundo (é alto em dados absolutos e não em dados relativos);

    4. os heterossexuais são jogados nos trabalhos piores e mais perigosos (é só ver quantos gays trabalham como coveiros, lixeiros, mineiros, eletricistas de alta tensão etc), ao contrário dos gays, que só gostam de tralhos leves, seguros e limpinhos;

    5. o número de heterossexuais mortos em acidentes de trabalho é muito mais alto que o número de homossexuais.

    Portanto, fica claro que a sociedade persegue muito mais os heterossexuais que os homossexuais, tanto que esses últimos engrossam massivamente a classe abastada e dominante do país, não sendo de modo algum “coitadinhos” e nem “pobrezinhos”.

    Assim, entendo que a PL 122 seria aceitável se fosse imparcial, garantindo explicitamente os direitos heterossexuais ao lado dos direitos homossexuais e bissexuais.

  5. Sapato Podre disse:

    A heterofobia não se manifesta socialmente como a homofobia. Na homofobia, a agressão do fóbico é por via direta, já na heterofobia, o fóbico tenta acionar mecanismos sociais e políticos que propaguem o homossexualismo para toda a sociedade e persigam e intimidem aqueles que defendem os valores heterossexuais.

  6. Isis disse:

    “Simplesmente por que nossa fé virou uma piada.”

    Até qdo trataremos nossa fé assim?
    Salva-nos da mediocridade, meu Senhor.

  7. Sara disse:

    Perfeitamente! Bom artigo…

  8. Abutre disse:

    Criminalizar a opinião contrária à homossexualidade é o mesmo que criminalizar a opinião exclusivamente favorável à heterossexualidade. Na prática, isso significa que aquele que propagar publicamente que a heterossexualidade é a única opção aceitável deve ser considerado criminoso. Portanto: pastores, padres, pais, professores, jornalistas etc. que exporem uma opinião favorável exclusivamente à heterossexualidade, serão considerados criminosos.

    Está certo ou errado?

  9. amiel rocha disse:

    Não podemos confundir o emissor de opinião com alguém que tem por natureza ser preconceituoso e usa a discriminação acima de tudo.Fato é que heterofobia e homofobia devem ser tratados de igual modo com pena prescrita na lei,para que não passem despercebidos.Quanto ha opinião emitida por qualquer pessoa da sociedade não deve ser considerada como crime,pois não entra na lei como calunia,difamação e acusação .Opinião é totalmente diferente do que alguns grupos relatam e distorcem a lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.