Desigrejados: a difícil adaptação

Print Friendly, PDF & Email

Um dos desafios de qualquer tentativa de “ser Igreja” está na correta adaptação daqueles que vieram de outras experiências religiosas à vida genuína em comunidade. E com certeza os mais difíceis de serem suportados são os que já eram (ou tentaram ser) crentes.

Quando uma pessoa vem de outro tipo de vivência de fé, rapidamente fica deslumbrada com o ensino claro e direto das escrituras. Mas o crente “de outra Igreja”, embora rejeite completamente a experiência que passou, ao mesmo tempo se recusa a reaprender os fundamentos de uma vida cristã inspiradora. Ele muda de ambiente mas não quer abandonar os vícios.

Alcançar as pessoas desigrejadas é algo relativamente simples. Basta descer do púlpito, renunciar ao microfone e viver diretamente em meio às pessoas. A beleza do evangelho EXPERIMENTADO por si só é suficiente para atrair a todos. Mas num segundo momento torna-se necessário filtrar quem realmente está disposto a carregar a sua própria cruz daqueles que estão procurando apenas mais uma experiência religiosa para sua coleção.

Nossa experiência tem ensinado que duas coisas são importantíssimas para se obter êxito neste processo de adaptação. A primeira é elevar os conflitos pessoais a um nível extremo. O caráter das pessoas deve ser (voluntariamente) exposto. E isto acontece quando usamos nosso próprio exemplo de vida como modelo. Torna-se insuportável tentar manter as aparências quando convivemos com “pessoas de verdade”. A segunda coisa importante é repartir os “custos” de tudo que for feito em comunidade. Isto significa que, mesmo quando pudermos pagar uma determinada conta sozinhos, ainda sim não o faremos. Preferiremos desafiar cada um a assumir sua parcela de responsabilidade. E se as coisas andarem mais devagar do que o desejado, ficará EXPLÍCITO que a culpa é partilhada tanto quanto as despesas financeiras.

Estas duas pequenas atitudes servirão como filtro para revelar quem É e quem, além de não ser, está mais interessado em atrapalhar os outros com suas crises pessoais infinitas do que em resolver sua própria vida.

O propósito de nossa pregação é apenas tornar as pessoas indesculpáveis diante de Deus. Se elas desejam ou não ter uma vida RETA com Cristo, isto não é diretamente responsabilidade nossa. Basta que TODAS as oportunidades, abraços, explicações e segundas-chances sejam dadas sem que os poupemos do CONFRONTO que o  evangelho naturalmente traz.

“Nunca recuse um convite.
Nunca resista ao desconhecido.
Nunca deixe de ser educado.
E nunca abuse da hospitalidade alheia.
Mantenha a mente aberta e usufrua a experiência.
E se doer, provavelmente é porque valeu a pena.”

Richard (Leonardo DiCaprio), no filme A Praia

Você pode gostar...

12 Resultados

  1. Pow, muito bom o artigo véi .

  2. Abel Junior disse:

    Show, pastor! Deus continue abençoando o sr!

  3. Niufran disse:

    Vivermos com pessoas de verdade é necessário verdade. Palavra pouco usada hoje em dia – integridade.

  4. Esdras disse:

    Muito bom bicho, a citação no final também ficou muito boa. Passei a acompanhar o seu trabalho e tenho gostado muito, que Deus continue te abençoando meu chapa.

  5. Alemão disse:

    ótima reflexão kra!

  6. Freire disse:

    Aaaaah não, esse blog é estranhamente bom para mim. Incrivel como a evolução dos assuntos têm me feito bem, até mesmo no meu atual “estado cristão: desigrejada”.

  7. Luciano disse:

    Parabens pelo blog querido, acho que um dos melhores que encontrei procurando por conteúdo gospel, gostaria que tambem que prestigie http://www.louvandoaosenhor.com ficarei muito feliz com sua visita

  8. @betoantero disse:

    Têm razão, se cada se dispuser a carregar sua cruz, deixar de querer de chamar atenção como se fosse criança, viver um evangelho maduro, a convivência seria mais fácil.
    Parabéns pelo texto!

  9. pastor gabriel disse:

    tudo haver com o livro de Riky uma igreja com proposito ele fala dos sem igreja e também a importância de ser membro de um ministério
    Deus abençoe pastor

  10. elisangela disse:

    é dificil mante a mascara com epssoas de verdade… sempre me vi encurralada à dizer a verdade, e isso me tira a zona de conforto mas pefiro morrer a me omitir.

  11. marlene disse:

    Bom demais pra ser verdade!!!

  1. 26 de novembro de 2011

    […] Desingrejados: A difícil adaptação […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *