Aprendendo a amar

Print Friendly

Você faz idéia do que é amar uma pessoa mais do que a si mesmo? Sabe o que significa sentir o terror de imaginar o quanto doeria viver sem alguém? Imagina até o quanto morrer (e ir para o céu) ainda sim é algo que precisa ser adiado devido ao imenso que amor que sente?

Estes sentimentos passaram a tomar meu coração depois que meu filho nasceu. Desde então sou homem dividido entre a convicção de que meu filho antes de ser meu é de Deus; e entre a compreensão da missão que me cabe de viabilizar o conhecimento do amor de Cristo nele através do que posso repartir.

O problema da humanidade é que, fora com os do nosso círculo de relacionamento mais íntimo, preferimos não nos importar. Não queremos sequer tomar conhecimento da causa alheia ou da responsabilidade da preservação da vida. Ou seja, é preciso haver vínculos sanguíneos para que passemos a SENTIR algo por alguém.

A ironia da salvação dada por  Cristo está no amor de Deus por nós manifesto através da doação de um sangue que não possui vínculos com nossa genética. Ou seja… somos amados e reconhecidos como filhos por quem não tinha nenhuma obrigação de assim nos considerar.

E o desafio então torna-se claro. Entender que a nossa família não é CARNE ou SANGUE. Que devemos nos corroer de paixão (sofrimento) pelas pessoas, ainda que desconhecidas ou desgraçadas. Se persistirmos na apatia e sentirmos menos do que isto, então ainda não estamos negando a nós mesmos e nem carregando a nossa cruz.

Pra ser cristão de verdade é preciso viver na agonia pelos desconhecidos. A dúvida sobre o desejo de IR para junto de Deus e a angústia de abandonar àqueles que poderia de algum modo ajudar.

“Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.” (Filipenses 1:22)

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Freire disse:

    Você desentende como tenho sido confrontada com essas verdades. É extremamente tênue, ou tem sido para mim por ainda ser MUITO jovem (19), entre viver a realidade do amor entre meus irmãos assim como eu vivo com os meus pais e possuir uma conduta confortável para meus pais que diga “vocês são as pessoas que mais confio”.
    Não sei o que significa doar-se aos irmãos sendo pai de família, mas sendo filho é complexo, pois os pais tem para com os filhos uma responsabilidade de cuidar que beira a posse, sendo assim é difícil aceitar que os filhos por amor a Deus e aos irmãos terão que dispor suas vidas mesmo que isso signifique decepcionar-se, ferir-se ou ser enganado.
    Tenho vivido muito isso e é difícil não ser a filha rebelde e também não ser uma cristã covarde. Peço para Deus o discernimento, e talvez pelo o “sarcasmo” tenho sido tão confrontada nesses valores.
    É brabo, é cruz, é o que eu quero, mas que sempre seja a vontade dEle.

  2. Pô Ari…essa foi de “cumforça”, tenho q tomar vergonha na minha cara! Tenho q aprender msm…

  3. Rômulo disse:

    Tudo isto é muito bonito e até poético em palavras, não é mesmo? :)
    Como dizem Timão e Pumba em o Rei Leão: ‘É lindo dizer’.
    Mas o verdadeiro desafio consiste justamente nisto:
    Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade.
    (1 João 3:18)
    Que Deus abençoe sua paternidade Ariovaldo e o leve à refletir, assim como eu medito uma vez que também sou pai, no desafio que Deus propôs à Abraão quanto ao seu próprio filho Isaque.
    Abraão teve a Fé de que ainda que consumasse o sacrifício Deus traria Isaque de volta uma vez que era o filho da promessa. Leva-nos a meditar com seriedade sobre onde está colocada nossa fé, esperança e o mais importante nosso amor, não é mesmo?
    Este foi o sacrifício que Deus através de Seu Filho Jesus Cristo efetivamente consumou por nós na cruz do calvário! :)

  4. Começo da semana estava orando a Deus para fazer uma obra no sentido de evangelização.
    Abri o site da IBC (ibc.org.br) e ví lá, logo na primeira pagina: EVANGELISMO URBANO.
    Muito bom e providente esse Deus.

    Estou acompanhando o curso de evangelismo urbano e estou sendo impactada pela forma de como você está ministrando.
    estou aprendendo muito.

    A maneira de como você ministra é surpreendente.

    Deus abençoe e volte mais vezes a Fortaleza-CE.

    A minha oração agora é que eu seja instrumento de Deus para evangelização.

  5. Guilherme de Oliveira disse:

    Esse post derreteu meu coração Ariovaldo, se isso for o evangelho, Deus acabou de me fazer uma pessoa muito feliz. Sempre sonhei com estas coisas! Deus te abençoe grandemente por me trazer esse entendimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *