A identidade é a chave

Nestes anos todos de ministério ainda me assusto com a volatilidade de muitos que buscam conselhos com relação a sua própria vocação. É como se boa parte das pessoas que estão empenhadas em ser Igreja ainda não estivessem convencidas de que isto é realmente a vontade de Deus para suas vidas. E então muitos tem me procurado afirmando desejar ter a mesma convicção que vê em minhas palavras.

A verdade é que embora (em certos níveis) eu tenha certeza a respeito do caminho de Deus em minha vida, a grosso modo precisei aprender a viver por fé em muitas circunstâncias. E isto significa que se eu em algum momento retroceder, simplesmente deixarei de compreender os “porquês” lá na frente.

Um exemplo disso é o que temos vivido em nossa Igreja, o Manifesto. Estamos no mesmo ritmo há 7 anos. Tentando e persistindo. Mas milagrosamente parece que a relevância nos alcançou e isto se tornou uma verdadeira revolução em nossa vida. Mas o que fizemos de diferente para “acertar” desta vez? Nada. Apenas fomos persistentes.

Se você tem dúvidas a respeito do que deve fazer, então pare de se preocupar com a ação e invista seu tempo na convicção. Apenas pessoas que compreendem perfeitamente qual é a vontade de Deus para suas vidas se encontrarão aptas a atravessar desertos sem reclamações ou desistências.

O Manifesto nunca foi o plano B. Ele é nosso único plano e sonho. E se tudo der errado, recomeçaremos (como já fizemos antes) tantas vezes quanto for necessário. Simplesmente por que compreendemos que não existe outro lugar para nós e para os que Deus chamar para esta jornada.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Fred disse:

    Vlww Ari…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.