Em defesa das instituições

Considero importantíssima a desconstrução dos conceitos acerca da igreja contemporânea. Não dá pra fugir desta discussão. Mas haverá fundamento sólido nos discursos que consideram que as instituições religiosas são o próprio anti-cristo?

No passado recente da história da igreja brasileira, enfrentamos desafios semelhantes aos da idade média, onde a igreja anterior à reforma tomou para si privilégios institucionais que, de tão danosos, tornou iminente a primeira Reforma. O problema é que não importa o que você tente empreender coletivamente, necessariamente terá que institucionalizar coisas. O próprio Jesus falava de maneira feroz contra a religiosidade institucional, mas não questionava os fundamentos das instituições estabelecidas em seu tempo. O problema não era a existência organizacional, mas a falta de eficiência de tais estruturas e também da falta de compromisso das pessoas envolvidas com a vontade de Deus.

Reconstruir é o passo seguinte a toda desconstrução. Não há outro caminho. Pois, ao menos metade do Novo Testamento trata de preceitos explícitos com relação ao convívio em comunidade. Talvez isto seja para que nos lembremos que, a Igreja é a única organização certificada e aprovada por Deus para a edificação do Reino. Então não basta repetir para si mesmo que “somos todos sacerdotes”, se não relembrarmos que nem todos fomos chamados para o GOVERNO na comunidade.

Há um ditado popular que afirma que “o poder corrompe… e o poder absoluto corrompe absolutamente”. Este é um ditado herético e que representa bem nossa insatisfação mal direcionada. Deus possui o poder absoluto, porém a própria palavra de Deus afirma que nele não há corrupção alguma. Igualmente, a Igreja de Cristo deve avançar, lembrando sempre de onde vem sua autoridade e poder. E nós jamais podemos nos esquecer que, instituições devem servir à Igreja de Cristo. Não iremos nos corromper por que aquele que é o TODO PODEROSO jamais se corrompe. Nossa luta não é contra a institucionalização, mas contra o governo dos interesses institucionais (que visam garantir a sobrevivência estrutural) sobre a Igreja de Cristo.

Não culpe a enxada pelo mau uso feito pelo agricultor.
O problema SEMPRE está nas pessoas. As estruturas são um mero detalhe.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. milton paulo disse:

    é isso ai Arizão!

    forte abraço,

    milton

  2. suely disse:

    o triste é perceber que cada vez mais o mal agricultor está ganhando espaço, pois hoje dimunuir para que Cristo cresça não é uma necessidade nossa.

  3. Perfeito Ariovaldo!!

    Vamos desmistificar essa sina underground e alterntativa de que instiuição grande não presta… Eles se esqueçam (ou não tem consciência), de que suas igrejas também são instituições, no sentido restrito da palavra: INSTITUIR-ÇÃO.

    ABS

  4. Cara ari, tu bem que podia dar aula aqui, para os professores e os institucionalizados preguiçosos, que vivem sufocando a igreja.
    Texto mto bom cara.

  5. Leandro França disse:

    Concordo que o TODO PODEROSO não se corrompe, mas não chegamos nem perto dele, não é?
    O que temos visto, é que, grande parte tem SIM se corrompido e a INSTITUIÇÃO tem ajudado neste processo.
    Não vejo em nenhum momento JESUS dependendo da INSTITUIÇÃO, ou os discípulos dependendo dela, tampouco a igreja (ajuntamento de pessoas) dependendo dela. Nossa única dependência é dEle, e quando isto é substituido, encontramos o caos que hoje vemos.

  6. Djair disse:

    O problema é o conceito de Igreja, e o modo de organização, o modelo proposto no NT…

  7. S.O.S Gospel disse:

    Sabe… faz sentido esse seu texto, pois muitos atacam as instituições e se esquecem de ver que o problema é outro. Eu gosto de ver quando alguém mostra um problema e ajuda a resolver ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.