Simplicidade idiota

Me admira que pessoas prefiram categorizar a vida de modo tão radical e simplista. Como se fôssemos amebas, limitadas a uma constituição unicelular ridícula e totalmente compreensível. Ignoramos até mesmo as complexidades sentimentais e, por isto, frustramos a outros e a nós mesmos na tentativa de encontrar modelos de conduta verdadeiramente aplicáveis na vida prática.

Tentamos fazer do evangelho uma série de regras em que podemos acertadamente dizer “isto é certo” ou “isto é errado”. Como se a vida dada por Deus pudesse ser reduzida a meros erros e acertos. Como se as complexidades de nosso ser tivessem fugido ao controle do Criador.

Apenas a VERDADE pode nos libertar por que ela revela quem somos e o quanto somos incapazes de encontrar uma auto-redenção. Apenas renunciando até à capacidade de acertar, seremos encontrados aptos a genuinamente vivermos a nova vida em Cristo. Aquele que desistiu de não errar, encontra-se na situação ideal e preferida do Redentor.

Mais do que apenas abandonar as velhas práticas, a fé operosa será caracterizada como aquela que possui seu foco em SER aquilo que Cristo diz que devemos ser. Apenas isto.

Aqueles que insistirem em simplificar os processos, concentrando seus esforços na luta contra as práticas da carne, inevitavelmente se frustrarão. Pois a carne sempre vencerá. Não se pode combater fogo com fogo. Por isso, esta é uma luta perdida.

Pra exterminar o fogo, deve-se primeiramente encontrar uma fonte suficiente de água. Pra um fogo incontrolável,  uma fonte inesgotável.

Em cada nuance de nossa miséria, complexidade, sentimentos e angústias; em cada pequeno detalhe, podemos sentir a inspiração do Criador. Em cada gole, em cada respiração. Em cada segundo, a eternidade. Em cada detalhe, o infinito.

Consegue sentar-se com amigos verdadeiros de frente à praia e não sentir-se em casa?
Consegue perceber que há amigos recentes que parecem ser velhos conhecidos?
Consegue ouvir Coldplay e não sentir Deus?

Será que o evangelho realmente o tornou livre o suficiente para que possa compreender o que estou tentando dizer?

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Rodrigo Melo disse:

    Ótima reflexão!

    ‘Pra um fogo incontrolável, uma fonte inesgotável.’

    Cara, que bom poder ler textos deste naipe, graças a Deus por isso!

    ‘Será que o evangelho realmente o tornou livre o suficiente para que possa compreender o que estou tentando dizer?’

    Pergunta realmente difícil!

    A Paz!!

  2. Rod disse:

    É nóis! Viva la vida!

  3. Felipe Fox disse:

    Achei que só eu sentisse vontade de voar escutando Viva la Vida. Texto Perfeito.

  4. Hélio Borba disse:

    Participamos, no inicio deste ano, da trabalheira que dá ao se organizar um retiro de carnaval eminentemente para jovens.
    Ao longo de 4 dias estafantes a igreja se reuniu no culto de 4 feira e todos estavam admirados de como tudo havia caminhado bem, sem contra tempos ou desentendimentos. Ao contrário todos estavam verdadeiramente alegres, extasiados. Nós nos indagávamos: Como pode ser isso? Nosso entendimento é que naqueles dias estavamos todos exercendo a função para qual fomos criados. Como uma peça original, numa engrenagem original funciona pefeitamente, com desgastes mínimos. Estavamos cansados e felizes. Passamos aqueles dias adorando ao Senhor com o nosso trabalho e percebendo exatamente para o que fomos criados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.