Mais sobre minha família

Meus pais compraram uma TV de 42 polegadas. Imensa… Full HD. Mais televisão do que um ser humano contemporâneo precisa. E então, sentados em volta da caixa gigante, começamos a relembrar coisas da vida mais uma vez.

Meu pai ressuscitou lembranças da seleção brasileira de futebol chegando ao Brasil após a conquista da Copa do Mundo de 58, em imagens ao vivo assistidas da casa da patroa de uma tia, em São Paulo, quando havia muito mato por todo lugar próximo de onde fica o Morumbi hoje. Chega a ser difícil de imaginar.

E então vamos amarrando as pontas, percebendo o quanto a vida tem se tornado menos difícil. Da primeira TV preto e branco, nos anos 70, adquirida com muito esforço e que custou muito dinheiro e a cristaleira da minha avó, até a atual tela-monstro ultra fina de 42 polegadas, foram míseros 40 anos.

Neste período muitas coisas engraçadas aconteceram. Como por exemplo minha avó dizendo para a vizinhança que não gostava de TV colorida, simplesmente por despeito de não poder adquirir uma. Ou meus pais, que ao adquirirem a primeira televisão, precisaram colocá-la em cima de latas de tinta, por que não tinham dinheiro para a estante. Nos anos 80, sentimos a alegria da aquisição de um aparelho de som, comprado diretamente da Zona Franca de Manaus, com toca discos e e fita! Como éramos felizes com tão pouco.

Nos anos 90, demoramos a conseguir entrar na era do CD Player. Comprávamos CDs, sem ter onde tocá-los. Até que conseguimos em seis suas prestações, levar pra casa um aparelho de 1300 reais. Um verdadeiro monstro sonoro. Quem diria que em 2008 eu compraria um idêntico de meu vizinho, por míseros 100 reais. O mundo dá muitas voltas… e eu poderia fazer uma lista imensa. De celulares aos fornos de microondas e computadores.

Nossos eletrônicos não definem quem nós somos. Mas sinalizam melhoras significativas que as gerações sutilmente alcançam. Havia TVs maiores na loja. Sempre há uma maior. Porém nossa satisfação com a vida não pode ser baseada na ganância que o futuro promete saciar. Somos muito mais felizes quando aprendemos a enxergar no passado o quanto somos abençoados por Deus. É fácil viver gratidão quando reconhecemos os marcos estabelecidos pelos nossos antepassados, nos inpirando diariamente a fazer nossa parte em favor da próxima geração.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. carlao disse:

    nao precisamos de quase todas as coisas que nao temos… e a gratidao nao eh lembrada como deveria ser lembrada!

  2. Vanessa Carlos disse:

    Ju, eu ando cansada de esperar para ser feliz. Esperar emagrecer para ser bonita, esperar pelo carro novo, esperar pela casa, esperar o marido… Na verdade a vida é hoje, do jeito que ela é… É bom lembrar do aparelho de som e dos CDs na caixa quase intocáveis. É bom viver com o que temos. Isso não é comodidade, é valorização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.